sábado, 30 de novembro de 2013

CHEGADA AO BRASIL



Nossos últimos dias em Quito foram marcados pela expectativa de voltar ao Brasil, estávamos em êxtase! Ainda ficaríamos 5 dias em Quito e verificamos a possibilidade de visitar o vulcão Cotopaxi e a cidade de Otavalo, mas o cansaço era tanto que decidimos ficar  e conhecer um pouco mais a cidade. Eu ainda tinha notas de 100 dólares e no dia seguinte seguimos ao centro para trocá-las no Banco Central, onde tive que esperar 1 hora e 50 minutos para ser atendida a sorte é que o atendimento é por senha, então sai várias vezes, e, em uma delas almoçamos.
 Depois de ficar livre do banco, seguimos ao parque Itchimbia, estava bem perto do banco central, subimos umas escadas e chegamos à entrada, não é necessário pagar para entrar.

O Parque Itchimbia fica no alto de uma colina com 2.910m de altitude, onde é possível ter uma vista de 360º da cidade.



 É um ótimo lugar pra se tirar fotos panorâmicas. Além de pistas para caminhada e espaços floridos e gramados, o parque conta com o Centro Cultural Itchimbia, local que abriga exposições e eventos, e conta também com espaço para divulgação da reciclagem, com diversas esculturas feitas de material reciclado J.






A estrutura do prédio todo construído em aço e vidro, fazia parte do primeiro mercado público de Quito, o mercado Santa Clara, e foi trazido da Bélgica em 1899. Vale muito a pena a visita e levar um lanche e fazer um piqui-nic por ali...



No Dia seguinte até tentamos ir à Laguna Limpiopungo e ver o Cotopaxi, mas foi um verdadeiro desastre, acordamos às 06hs nos aprontamos e tomamos o ônibus para o terminal Quitumbe, ônibus lotado como sempre...  chegamos a Quitumbe às 8hs e tomamos um ônibus para Machachi, ele foi mais rápido que o da cidade... descemos no centro da cidade de Machachi e pedimos informação de como chegar à lagoa Limpiopungo, descobrimos que a única maneira de chegar lá é por camionete. Procuramos e quando vi o  preço, caímos de costas, 50 dólares! Fora de cogitação esse preço para ficar somente 30 minutos na lagoa, que era o tempo que o motorista nos disse que esperaria!!!

Saímos caminhando e paramos para ver o livro que ganhamos com informações da cidade, ali mostrava endereço de uma agência de turismo, tentamos encontrar e nada... fiquei muito brava, viajamos esse tempo todo para nada... resumo: Chegamos em Machachi, ficamos 30 minutos e subimos em um ônibus de volta à Quito, decidimos ir ao Teleférico...



 Descemos em Quitumbe e de lá seguimos direto ao teleférico.



O Teleférico de Quito é considerado o mais alto do mundo, ele permite o acesso a Cruz Loma, a 4200 metros acima do nível do mar, colina a leste de Pichincha, com ecossistema típico da Cordilheira Andina. O curso é feito em cabines e dura 10 minutos, começa à 2.950 m e vai até 4053 (a uma distância de 2,5 km), onde encontra-se um mirante que oferece praticamente toda a cidade.



Acima também possui um parque e uma trilha até os pés do Vulcão Pichincha. 



Descemos em um ponto de ônibus e teríamos que esperar a chegada do ônibus do teleférico que leva gratuitamente até a entrada, quando começamos a caminhar para chegar ao ponto, um taxi perguntou se queríamos ir, respondi que não, que iríamos de ônibus, ele respondeu que nos levaria grátis, assustei e pensei como assim um taxi grátis hehe. Subimos e ele nos levou até a entrada do teleférico, agradecemos e seguimos para comprar os bilhetes.

 Chegamos ao topo e caminhamos um pouco. Depois de umas fotos, eu estava com fome e sentamos em uma cabaninha para comer um lanchinho, ainda bem que levamos porque ali estava tudo absurdamente caro!

Como chegamos tarde, decidimos não fazer a trilha até o vulcão e aproveitamos para curtir a paisagem J




            O sábado estava reservado para a feira de Otavalo, mas não rolou, o tempo estava feio e chovia muito, decidimos conhecer o parque Ejidio, e “gastar” os últimos dólares na feira de artesanato do parque e do bairro Mariscal, valeu muito a pena, encontramos boas peças e preços muito bons.





            No domingo, nosso último dia J, acordei a 01h da manhã e não consegui dormir mais, a ansiedade em voltar e ver nossa família era muito grande,  fiquei pensando em tudo que passamos até o momento, agradeci a Deus por ele ter nos dado um bom teto e comida todos os dias desses 9 meses, pensei o quanto fossos abençoados na nossa viagem, por não ter acontecido nenhum problema, meditei, orei e AGRADECI AO SENHOR SUPREMO...

            Às 06h30min da manhã, Ricardo acordou no maior bom humor, me agarrando e me beijando, fiquei mega feliz, e me senti ainda mais abençoada por Deus, por ter um homem tão especial do meu lado, que me apoio na decisão de viajar e aceitou largar toda uma vida para viver essa aventura.

Hoje, posso dizer com certeza, que tudo o que vivemos nesse período, muitas pessoas não vivem em toda uma vida, e foi a melhor decisão que tomamos desde que casamos J.

            Ficamos a manhã no hotel para descansar, pois nosso vôo era à noite, às 12hs fizemos o check-ut e deixamos nossas mochilas no guarda equipagem, voltamos para o Parque Ejidio e compramos umas coisinhas, depois almoçamos e seguimos para o hotel para retirar nosso equipamento, caminhamos até o aeroporto antigo (desativado) para tomar o ônibus da empresa “Aero- serviços”  que leva até o aeroporto novo, quando fui comprar as passagens, vi que Lan tem 25% de desconto e deixei nossa cópia do check-in com ela, subimos no ônibus e viemos contemplando a cidade de Quito, uma felicidade bateu no peito, estamos retornando, e já não somos as mesmas pessoas que saíram à  9 meses atrás...

Chegamos cedo no aeroporto e fomos deixar as malas, foi o maior sofrimento, só porque falei que não pesavam a bagagem de mão, resolveram pesar e a minha mochila passou meio quilo, mas deixaram passar e a do Ricardo com 10 quilos, teve que tirar algumas coisas, nossa sorte é que foi a conta o peso: 20 + 13 + 10.5, ufa, descobri a razão da dor nas costas J!!!



O vôo foi super tranquilo, chegamos às 08h40min  no aeroporto de Guarulhos, estava muito feliz de ter retornado, foram 9 meses de aventura e muito aprendizado.

Na espera pela bagagem escutamos todos falando português e achamos muito estranho... estava ansiosa para ver minha família, e como sabia que minha mamãe estaria esperando, minha ansiedade aumentou...

Recolhemos nossas bagagens e passamos pela receita federal, ao virar a curva para saída vi minha mãe, foi indescritível a sensação que tomou conta e mim, meu coração palpitou forte e nos abraçamos mais forte que nunca, senti uma sensação de proteção e amor intensa, estava em casa, estava com minha família... Em todos esses meses, de tudo que vivemos, a única coisa que nos fez ter vontade de voltar foi o AMOR pela nossa família, e aqui estávamos, voltamos por eles, para estar junto deles...

Dauto, meu cunhado estava acompanhando minha mãe, foi maravilhoso encontrá-lo, ele estava muito feliz com nossa volta e nos recebeu com muito amor.

Seguimos em direção ao Santuário de Harmonização Planetária, localizado em Juquitiba, à 80 km de São Paulo,  nossa nova casa J! Estava ansiosa para ver minha irmã querida, e parece que o tempo não passava e para piorar, demoramos mais de 2 horas somente para atravessar São Paulo, estava aquele trânsito L.

Estávamos quase cozinhando, nem lembrávamos como era quente o Brasil, em poucos minutos no carro já estava transpirando, fazia 9 meses que não suava em repouso hehehe!!!

Depois de mais de 4 horas de calor e trânsito, finalmente chegamos e minha irmã estava lá, com os braços abertos para nos receber... nos abraçamos e nos apertamos muito J, somente a larguei para agarrar o tão esperado pão de queijo que saiu do forno naquele exato momento... Não dá para explicar com palavras o quanto estava gostoso, minha mãe até brincou que eu estava com mais saudade do pão de queijo que da família hehehe.




Depois de matar a saudade fomos matar a fome, minha maninha querida nos preparou uma típica comida brasileira (claro que nós já havíamos dito o que queríamos comer), arroz, feijão, carne (de soja claro), mandioca frita, couve e farofa!!!




Comemos até empanturrar, quase não sobrou espaço para a sobremesa que estava simplesmente farta e fantástica!!!



Nosso retorno superou nossas expectativas, sabíamos que seria maravilhoso, mas não pensávamos que seria tanto!!!


Obrigada mami por ter vindo de Caldas Novas nos receber.

Obrigada maninha pelo carinho, pelas mensagens de amor e pela comida maravilhosa.

Obrigada Cunhado por acordar as 4 horas da manhã, enfrentar esse trânsito horrível para nos buscar no aeroporto.

Obrigada Dona Nair, pelo maravilhoso pavê de maracujá e o quiche de escarola!!!

OBRIGADA MEU DEUS POR NÓS TERMOS UMA FAMÍLIA TÃO MARAVILHOSA !!!!



Bom caros leitores é isso ai, voltamos para o Brasil, a primeira parte de nossa aventura acabou. Voltamos 3 meses antes do proposto e faltou conhecer a Colômbia, mas Ricardo e eu decidimos que nossa vida de mochileiro está apenas começando...

Voltamos pessoas diferentes, com novos ideais!

A sujeira que tampava nossos óculos foi limpa, hoje vemos o mundo de outra maneira, enxergamos com clareza os reais problemas do planeta,  posso dizer que o que vivemos foi uma desintoxicação dessa sociedade medíocre e capitalista em que somos obrigados a viver. Não queremos mais fazer parte deste sistema que mata e destrói animais, plantas e os próprios seres humanos, voltamos munidos pela arma do conhecimento e amor universal, obrigado ao senhor Supremo pelas dádivas concebidas, e obrigada Mangala Maharaj por nos inspirar.

2014 estaremos no Brasil, vivendo e fazendo parte desse lindo projeto desenvolvido pela minha maninha querida e meu cunhado  no Santuário de Harmonização Planetária, de maneira limpa e sustentável, sem ferir nossa mãe terra...  Mas em breve, novas aventuras estarão voltando a fazer parte deste blog.

Obrigada a todos nossos amigos e as pessoas que acompanharam nossas aventuras, logo faremos um post dedicado a todos os amigos que conhecemos e nos ajudaram no longo desses 9 meses!!!


HARIBOL!!!