terça-feira, 16 de julho de 2013

ECO TRUTY DIAGUITAS & VALLE DEL ELQUI

Dia 16 de julho de 1995, um belo domingo de sol, mas frio, era dia de quermesse, o último dia da famosa festa do asilo em São Sebastião do Paraíso estado de Minas Gerais, Brasil!!!
Havia cavalos e charretes por toda rua de minha casa, muitas pessoas e muito movimento, o clima era de festa, e realmente foi uma festa... neste dia nascia a primeira sobrinha, a primeira neta... Estavam todos ansiosos e minha casa que era em frente ao hospital estava cheia de tios e avô. No hospital estavam duas avós, um pai e duas tias eu e Fernanda.
Por volta das 10hs da manhã nascia Letycia Luiza de Souza, minha querida sobrinha que completa hoje 18 anos, a idade que a sociedade escolheu para marcar a passagem da adolescência para a vida adulta, o início de um ciclo de responsabilidade e fim da liberdade, uma data que a maioria dos adultos esperou com muita ansiedade e depois se decepcionou com o que veio em seguida.
Me recordo quando era pequena e deu os primeiros passos, demorou um pouco, mas para falar foi rapidinho... Lembro quando chegava à minha casa e sentava no chão para fazer birra, foi muito mimada (pudera à primeira neta) e muito amada também...
 Me lembro quando cresceu e pedia : _Tia me leva no parquinho??? Das vezes que a buscava na escola e das apresentações que faziam. Sempre a arrumava e até fazia chapinha em seu cabelo...
Com 11 anos ela mudou-se para Caldas Novas, e nos divertimos muito em uma visita ao Hot Park.
 Aos quase 13 anos ela foi à Paraíso depois de um tempo sem nos ver, me surpreendi ao ver uma bela adolescente, parecia que era outra pessoa, já não era uma garotinha, me recordo de uma vez que um colega de trabalho me disse: Eliza acabo de ver seu marido com uma “gata” de cabelos longos na rua... quase morri de rir nesse dia...
 Hoje é um dia muito importante para ela e não estarei perto para dar-lhe um abraço apertado e dizer que apesar de não ter sido uma boa tia (eu brigava com ela, como hoje ela briga com o André J hehehe), eu à amo muito e tenho muito orgulho dessa linda mulher que começa oficialmente hoje a vida adulta, o que tenho a dizer à essa garotinha é
 _Tenha força e siga os seus sonhos... garra e competência eu sei que tem de sobra, o que precisa agora é ter paciência e tudo se tornará concreto para você.
 E não se esqueça, tenho uma missão para você, quando eu voltar Você vai escrever o nosso livro (Tia abusada essa, também com o talento dessa menina). Te amo muito Letycia, te desejo toda felicidade que merece (vai ser só alegria J)
FELIZ ANIVERSÁRIO ou como dizem no Chile: Feliz cumpleanos



Nossa estada em Parcela-Luna se estendeu por uma semana a mais, queríamos muito ter ficado mais tempo, mas precisávamos seguir nosso caminho, não é fácil aprontar as mochilas e sair de um local onde se foi tão bem recebido e vivemos tão bons momentos, mas para nós é necessário... Em Parcela Luna nos demos conta Brasil para ajudar na construção do Santuário, estar estes dias Com Romy, Trevu e Fabian, nos fez abrir os olhos e enxergar que o que queremos para nosso futuro está muito próximo e nossa ânsia de voltar e fazer acontecer nosso desejo de viver em uma comunidade de paz, amor e harmonia se tornou mais forte. O plano agora é buscar eco escolas, aprender mais sobre permacultura, e diminuir nossa estada nas cidades que estão no nosso roteiro.
Nesta última semana, vivemos igualmente felizes e conhecemos um novo amigo, Henney, é um norte Americano que veio fazer WWOOF em Parcela Luna, como deveríamos ter viajado ele viria logo em seguida, acabou que ficamos todos.
Henney é muito divertido e nos fez desfazer a má impressão que tínhamos de cidadãos Norte Americanos, ele até brincou quando chegou “Eu sou um gringo burro, estou aqui para aprender muitas coisas”. Foi divertido passar essa última semana com uma companhia à mais...



Nesses dias também aconteceu algo muito triste, o cachorro da família Brama, sumiu e depois de 3 dias como não voltava, Trevu começou a procurá-lo e o encontrou morto... Fabian ficou muito triste. Ricardo cavou um grande buraco para enterrá-lo...



Na quarta-feira dia 10 de julho, acordamos e nos preparamos para o último dia, aquela sensação de “para onde vou e como vai ser minha próxima casa” invadiu o meu peito, levantamos e nesse dia preparei uma boa comida Brasileira: Arroz, feijão, farofa de ovos, hambúrguer (não comemos carne, ela substituiu o bife hehehehe), salada de alface e tomate... como no Chile não existe mandioca (nem posso lembrar de mandioca frita que meu estômago já se movimenta), fiz a farofa com aveia, e ficou bem gostosa... Todos comeram muito, mas Henney como sempre se superou J. Fiz também Rolo italiano para o jantar e alfajores que aprendi em Catemu com os Krishna.
Trevu nos levou à rodovia às 20hs e tomamos um ônibus para Calera, à 00hs seguimos para La Serena... Viajar durante a noite para dormir no ônibus é uma ótima oportunidade, mas quando estou enfrentando um grande problema desde que saímos do Brasil, em cada ônibus que entramos encontro uma pessoa que ronca mais alto, dessa vez o “fulano” estava na poltrona atrás da minha e era o campeão dos roncos, coloquei música bastante alta e mesmo assim escutava o estrondo, parecia o pequeno Terremoto que presenciamos em Villa Alemanha...
            Chegamos super cedo em La Serena, eram 4:40 da manhã, descemos e tomamos um caputino para esquentar, seguimos para Vicuña no primeiro ônibus e tomamos um taxi para Eco Truly Diaguitas, chegamos na Finca e fomos recebidos por Prabupada e Murari que vivem ali.



            A região é incrível, cheia de montanhas muito altas, a estrada é literalmente em um vale entre as montanhas, passamos pelo rio Elqui que estava muito baixo, mas incrivelmente bonito, a região é muito seca também, muita poeira e chove muito raramente, clima de deserto.






A finca é bem pequena, possui um truly para o templo, 



um alojamento com quarto para moradores e dois pequenos quartos para visitantes, ficamos em um deles. Possui uma construção para cozinha e um refeitório. Como o clima é muito seco, não existem muitas plantações, algumas verduras são cultivadas em terraças (como faziam os Incas),



 pois a área plana da finca é muito pequena, ela está localizada aos pés da montanha Mamalluca que é gigante...
A instalação é bem rústica, não possui energia elétrica e água quente, tomamos banho frio e sempre antes das 13hs, porque como estamos entre montanhas muito altas, em um Valle, às 13hs o sol se esconde atrás do serro e passamos o dia todo sob a sombra, e a temperatura despenca, já que estamos em pleno inverno, fazer o que, mochileiro não tem mordomias .
Existe um painel solar que se recarrega durante o dia e à noite gera luz para a finca, também possui tomada para uso de aparelhos elétricos, mas a energia é limitada, porque o sol se esconde muito cedo
A cozinha também não funciona com fogão a gás, existe um fogão à lenha que fazem no chão, bem interessante e um grande forno à lenha para assar o pão. 
Logo no primeiro dia os devotos saíram para vender pão e fiquei encarregada de cozinhar, foi a primeira vez que cozinhei em um fogão à lenha (fora as vezes que cozinhei em acampamento), fui uma experiência incrível, gostei bastante...



A água da região está contaminada pelas mineiras e a água potável tem que ser trazida por caminhões e ficama armazenadas


Existe um Rio que corta a cidade, chamodo Elqui, muito bonito e é formado pelo desgelo das montanhas que ficam mais à leste da região





Estar entre as montanhas, longe da civilização e das mordomias da cidade Foi incrível, senti uma energia muito forte aqui, e uma tranqüilidade imensa... 



dormia muito bem e à noite vislumbrava o céu mais estralado que já presenciei na vida. O cume das montanhas também era visível formando um visual indescritível...
Logo no primeiro dia, tivemos a felicidade de participar de uma conferência em La Serena com Guru Deva Atulananda, foi muito interessante e aprendemos muito com ele, depois da palestra comemos uma deliciosa prassada  preparada pelos devotos.



No domingo fizeram um grande festival, vieram muitos devotos de La Serena e fizemos Prassada para muitas pessoas, estava deliciosa...



 à noite havia um festival na cidade e escutamos a Banda de rock “Monges urbanos” que é formada por devotos, muito bacana o som.



            Nossa estada em Diaguitas também está indefinida, não sabemos se iremos continuar ou rumar a Pisco Elqui...












2 comentários:

Francisca Vargas disse...

Hola Eliza y Ricardo!! Muchos cariños para los dos!. Estoy muy agradecida de haberlos conocido y de todo lo que pudimos compartir, fueron una inspiración importante para mi...
Que sea un bello viaje!! Seguiré sus pistas en el blog!.

Un abrazo!
Haribol!!

Francisca

Eliza Inez disse...

Hola Francisca

Nos quedamos muy contentos de conocerte ... Pronto nuestra foto estará en BLOG
Estamos en Pisco Elqui, y sabemos Horcón Alcohuaz, hermoso!
En unos dos días de seguimiento el viaje ...
Mis mejores deseos y mucha felicidad

Abrazos

Haribol