segunda-feira, 4 de novembro de 2013

EQUADOR, Quito e Esmeraldas (Mompiche)



Nossos últimos dias em Lima foram somente para descansar, ficamos uma semana comendo e dormindo, aproveitamos um maravilhoso restaurante vegetariano que encontramos pertinho de nosso hotel e desfrutamos do melhor restaurante vegetariano de nossa viagem, estava delicioso J.





            Nosso vôo sairia para quito às 23hs, então no último dia, deixamos nossas malas no guarda equipagem do hotel e aproveitamos para dar um último passeio na praça de armas.



QUITO




San Francisco de Quito, mais conhecida como Quito, é a capital do Equador, localizada no noroeste da América do Sul. A partir de 2008 também passa a ser a capital da Unasul. Situa-se ao norte do Equador na bacia do rio Guayllabamba nas inclinações orientais do Pichincha (4794 metros), um vulcão ativo na Cordilheira dos Andes. A Praça da Independência situa-se a 2850 metros acima do nível do mar. Quito é a segunda cidade importante mais elevada do mundo. A população de Quito, segundo o censo mais recente (2001), era 1.399.378 habitantes. Em 2005, entretanto, a população estimada era 1.865.541. A área de Quito é de, aproximadamente, 290 km².
Quito fica situado aproximadamente 35 km a sul da linha do Equador. Um monumento marca o local como "la mitad del mundo" (o meio do mundo). Devido à altitude e localização da cidade, o clima em Quito é razoavelmente constante, com uma temperatura máxima tipicamente ao redor dos 21ºC em qualquer dia do ano. Há somente duas estações em Quito, o verão (a estação seca) e o inverno (a estação chuvosa).
Quito foi fundada em 6 de dezembro de 1534 pelo espanhol Sebastián de Benalcázar com o nome de San Francisco de Quito.

Chegamos em Quito às 02h30min, ficamos rodeando a cidade até que tivéssemos autorização para descer porque havia muita neblina, como não gosto de voar, quando chegamos em terra senti um grande alívio J.
Descemos e passamos na imigração do Equador antes de pegar as malas. Depois seguimos para um banco perto da saída, como quisemos economizar uma noite de hospedagem o jeito foi dormir no chão do aeroporto mesmo...



As 05 h tomamos o ônibus que leva em direção ao aeroporto antigo, o ônibus é super bom, tem até internet, se paga 8 dólares, para dois ficou mais barato que os 30 dólares que cobraria o taxi J.
Estávamos mortos de cansados, deixamos nossa bagagem em baixo e dormimos todo o trajeto que durou 1 hora, descemos e recolhemos nossa bagagem, tomamos um taxi até o Hostel Terra 4, que havíamos reservado pelo booking, nosso quarto já estava pronto, então nos acomodamos e tomamos um belo banho, logo saímos para “desayunar”, pois estávamos mortos de fome...
Paramos na primeira padaria que encontramos e tomamos um super café, na hora de pagar tive um susto, o comércio não recebe notas de 100 dólares... em todo Equador, existe uma norma que não se pode usar nota de 100 e 50 dólares, estas cédulas devem ser depositadas pelos equatorianos e os estrangeiros tem que trocar por notas menores em casas de câmbio (que cobram de 4 a 5 dólares para cambiar, ou no Banco Central, que cambiam sem custo, é necessário levar cópia do passaporte e preencher um formulário). Por sorte, depois de muito procurar, encontrei uma nota de 10 dólares...
            Decidimos que mesmo cansados, tomaríamos um ônibus coletivo e conheceríamos o centro histórico, tomamos informações com moradores e tomamos um ônibus para o terminal “La Y” e de lá outro para o centro... Os ônibus são simplesmente super lotados, se paga muito barato, 0.25 dólares, mas se é transportado como uma sardinha em lata J, como já havia tomado informações que existem muitos furtos nos ônibus, tomamos muito cuidado com a mochila e câmera, e nada nos bolsos...
            Descemos na praça Gonzáles Suárez e tomamos informações e mapas no centro de atenção ao turista, estava calor, o sol forte cozinhando nossos miolos, quanto tempo não sofríamos com o calor hehehe.



            Estamos muito cansados, e não caminhamos muito, passamos pelos principais pontos do centro histórico:



Igreja de San Francisco, Palácio do governo, Santo Domingo, 



Igreja de San Augostin Parque Alameda 



e a belíssima “Basílica del Voto Nacional”



            Depois de conhecer um pouco do centro, decidimos ir ao terminal Quitumbe para verificar horários de ônibus para Esmeraldas, essa foi a pior decisão que tomamos em nossa viagem... subimos em um ônibus que demorou 1 hora e meia para chegar no terminal, esse foi o ônibus mais lotado que vi em minha vida, estava tão cheio que eu passei mal, estavam apertando tanto que não podia respirar...
            Chegamos no terminal Quitumbe e estava caindo um dilúvio, muita água e raios, tomamos as informações e voltamos para o hotel, só que desta vez o sufoco do ônibus foram de 2 horas e meia...
            Nosso plano era ficar somente uma noite em Quito, como já estamos MUITO CANSADOS DE VIAJAR, quer mas decidimos ficar uma mais e conhecer o Monumento da Metade do Mundo.
            No dia seguinte, que era sábado, acordamos cedo e nos preparamos par ao passeio, havíamos capotado à noite, dormimos muito e nem vimos a chuva torrencial que caiu, mas o dia amanheceu lindo e limpo...
Seguimos à avenida Pressa, tomamos o ônibus até o terminal “La Ofélia” de lá mesmo, tomamos o ônibus para “La midad del Mundo”, mais ou menos 1 hora e 20 minutos de ônibus.


LA MITAD DEL MUNDO



A história do monumento é interessante: uma expedição francesa, que durou de 1736 a 1742, marcou onde estava a latitude 0º 0" 0", mas marcou errado. Passados 250 anos da primeira demarcação, foram cientistas também franceses que concluíram que o ponto correto estava 300 m ao norte de onde está demarcada.  A ironia é que o novo ponto coincide com o que os índios chamavam de "inti-ñan", ou "caminho do sol".
No lugar certo ou errado, a torre guarda um museu etnográfico, que conta a história do povo equatoriano, cujo ingresso custa US$ 3. O parque tem um planetário, pavilhões e outro museu. Esse, com réplicas de peças pré-colombianas.
Neste dia tivemos sorte, porque o ônibus estava mais vazio e fomos sentados, no Terminal Lá Ofélia o cobrador dá um cartãozinho para os que sobem ali, e com esse cartãozinho se paga somente 15 centavos para o ônibus até a Metade do Mundo.
Para entrar no parque pagamos 3 dólares... O dia estava lindo, sol forte, ventinho para refrescar, entramos e seguimos ao museu Quito Colonial, lá pudemos ver uma réplica em miniatura da cidade de Quito e de Cuenca, muito interessante.



 Seguimos até o museu Pabellóns de França, este estava dedicado à explicar como foi feita a medição do local exato onde passa a linha da metade do mundo e os outros museus que estão incluídos no ticket.
Depois seguimos para o monumento principal.




Passamos no relógio de sol e às 12hs em ponto vimos quando ficou alinhado ao centro.



O parque possui várias lojas de artesanatos, com preços muito bons, aproveitamos e compramos umas coisinhas J, e passeamos pelo parque.




 almoçamos fora do parque, o preço estava melhor e encontramos uma comida vegetariana com mais "sustância" já dentro do parque estavam nos oferecendo somente sopa de vegetais e uma tábua de saladas...
Tomamos o ônibus de volta à La Ofélia, dessa vez muuuuito lotado, pagamos 40 centavos, e de Lá Ofélia tomamos outro sem custo até o aeroporto antigo...
Descemos e aproveitamos para passa no parque bicentenário, que foi feito onde era o antigo aeroporto.



No domingo, dia de seguir à Esmeraldas, acordamos cedo e preparamos nosso pequeno equipamento, não estávamos dispostos a pagar 40 dólares para o taxi nos levar até o terminal Quitumbe, nossa esperança que hoje por ser domingo o ônibus estivesse mais vazio...
Caminhamos 10 minutos até o terminal “La Y”, descobrimos que havia uma via interditada que vai até o terminal Quitumbe e tivemos que pegar o ônibus da linha trole e parar na estação San Domingo e de lá tomar um ônibus para Quitumbe...
Seguimos ao ônibus e havia uma super fila, mas conseguimos entrar e o espaço foi tranquilo... chegamos na Praça San Domingo e lá tivemos que descer e seguir uma fila para entrar em um ônibus que nos levaria ao Parque Recreo, como haviam muitas pessoas esperamos o outro ônibus e entramos mais tranqüilos pelo fundo, esse ônibus foi super rápido, somente fez um desvio e logo entramos no terceiro ônibus, crentes que seria o último, mas não, paramos em um terminal e tivemos que encarar um ônibus super lotado de 40 minutos até Quitumbe, no total foram 2 horas e 15 minutos da parte Norte que estávamos até o terminal Quitumbe, chegamos vivos e tranqüilos, até que não foi tão sofrido J hehehehe!



Logo que chegamos subimos a rampa e dei uma olhada na empresa Esmeralda Bus, só havia ônibus para às 15hs, segui até uma outra que não lembro o nome e havia um ônibus saindo naquele momento, corremos e conseguimos sair às 10h45min, comprei um pacote de batata frita para comer no caminho...
A saída de Quito é bem bonita, seguimos paralelo ao vulcão Pichinca e começamos uma imensa descida em zigue e zague, a paisagem estava verde, muito bonita, havia até uma cachoeira no caminho.
Chegamos em Santo Domingo às 13h30min, lá o ônibus parou 5 minutos para pegar passageiros, aproveitei e comprei umas coisinhas, nosso almoço foi “Arepa”, uns 20 minutos depois entrou um vendedor oferecendo pão de yuca, nosso pão de queijo, arrisquei porque estava bonito, e acertei, estava quentinho e delicioso, só que está mais para biscoitão, porque não tem nada de queijo L!
O ônibus parou bastante no caminho e chegamos em Esmeralda às 16h30min, seguimos aos guichês e estava saindo o último ônibus para Mompiche, corremos literalmente e conseguimos tomá-lo, eu estava crente que estávamos perto, mas foram quase 3 horas de viajem, o ônibus para em todos os lugares do mundo hehehe, eu já estava preocupada se encontraríamos algum lugar para dormir em Monpiche, pois os povoados que encontramos no caminho estavam em péssimo estado, fiquei com um medinho de não ter onde dormir...
Às 19h15minhs chegamos em Monpiche, seguimos direto ao primeiro hotel que vi e perguntei o preço, 20 dólares a diária, o hotel é bem legal, tem até piscina, mas o quarto é bem ruinzinho, cheiro de mofo e o banheiro estava sujo de areia entre as gretas do Box, a ducha era fria e as paredes não estavam limpas... bom, estávamos cansados e amanhã vamos ter tempo para procurar outro lugar para ficar... chegamos e tirei logo a roupara para tomar um banho frio L, logo Ricardo foi também... Ficamos vendo TV depois e logo capotei...


MOMPICHE



Mompiche é um pequeno povoado localizado na Costa norte do Equador, à 107 km da cidade de Esmeralda, é bem pequeno e pouco conhecido pelos turistas Brasileiros, a cidade possui mais ou menos 500 habitantes que sobrevivem da pesca e do turismo.



O vilarejo é bonito e muito tranquilo, está sempre cheio de hippies, ou melhor dizendo, mochileiros sem grana que montam suas barracas por todos os terrenos vagos da cidade.



Mesmo sendo pequena, possui uma boa infra-estrutura para atender o turista, restaurantes, mercearias, e bons hostéis e cabanas na praia. À 10 minutos de carro do vilarejo, esta localizado Royal Decameron Mompiche, um grande hotel que possui o sistema All Incluse.

No dia seguinte saímos a procura de um local melhor, a cidade de Mompiche é bem pequena, então resolvemos começar pela praia que é em frente... local lindo, tem uma grande extensão para caminhar, Ricardo já disse que amanhã vamos cedo... passamos por vários hotéis, vimos de todos os preços e o melhor que encontramos foi uma cabana pertinho de onde estávamos, um quarto super grande com duas beliches, uma cama de casal, banheiro privativo, Wi-fi, Tv a cabo, e pode usar a cozinha, o mais importante é que estava tudo muito limpo e não tinha cheiro de mofo o quarto... mas a água é fria, todos os hotéis aqui são de água fria, com exceção do luxuoso Decameron...
Decidimos caminhar um pouco pela praia e conhecer a região, o tempo estava fechado, calor e algumas gotas de chuva... Caminhamos até a Praia Negra, é bem pertinho de Mompiche, uns 20 minutos



 e depois caminhamos até Portete, 




à noite preparei uma comidinha caseira deliciosa e aproveitamos para tocar violão na praia, néctar J
No dia seguinte acordamos cedo, compramos nosso café da manhã e seguimos nossa caminhada pela praia, o sol estava escondido entre as nuvens, mas estava calor e não chovia, a praia estava linda, Ricardo e eu nos sentíamos muito felizes, caminhamos com os pés na água que estava “calientita”, caminhamos mais ou menos 30 minutos e já estava com fome, paramos e preparei nosso desjejum, yogurte com cereal, torradas com requeijão e “café com leite” J, estava delicioso, devorei tudo, depois tirei a bata e deitei no colo do meu maridinho para fazer o “kilo”.



 Caminhamos 15 minutos e eu já quis parar, a água estava me chamando e não pude me conter, chamei Ricardo e deixamos nossa mochila na areia, a água parecia fria no momento que entramos, mas depois de 2 segundos estava maravilhosa, Contamos até 3 e nos afundamos, estava delicioso, nos divertimos muito e até perdemos a noção do tempo e hora, 



quando já estávamos cansados saímos e decidimos jogar capoeira, foi engraçado, porque tentei fazer alguns golpes que fazia antigamente e quase torci o tornozelo, heheh, a idade chegou J.
Ricardo me acompanhou e nos divertimos um bocado. Depois da brincadeira, sentei para descansar e comecei a mexer na areia, Ricardo sentou comigo e começamos a fazer um castelinho, hehehe, parecíamos crianças, o castelinho parecia feito por uma criança de 2 anos, então começamos a fazer outro, esse ficou menos mal hehehe.




            Já estava tarde quando resolvemos voltar, foram 1 hora de caminhada, e depois do banho preparamos uma deliciosa comida caseira J
            Os dias seguiram nublados, mas com chuvas leves pela manhã, aproveitamos o quanto pudemos o mar, que nos surpreendeu pela temperatura quente da água J





            4 dias de estada, o sol apareceu, decidimos ir até Portete, chegamos na praia e tomamos um barco para atravessar-nos até a Ilha, eles cobram 0.50 centavos de dólar, do outro lado descemos e caminhamos um pouco, mais a frente, do outro lado do rio está localizado o hotel Royal Decameron, tem que atravessar um braço do rio também, falei p Ricardo ficar perto da praia e tirar uma foto minha, que ia atravessar nadando, e segui, foi tranqüila a travessia,



 quando cheguei do outro lado, vi que era muito bonito e pedi para ele atravessar também, só que ele viria de barco.
Enquanto esperava Ricardo, um barqueiro veio me oferecer um passeio e disse que onde passei era muito perigoso, para eu não voltar nadando, porque aquele trecho está cheio de arraias, e elas liberam uma toxina muito tóxica quando tocam nossa pele... Engoli seco e pensei: _ Ainda bem que foi tudo tranquilo J.
 Caminhamos um pouco para tirar fotos, haviam umas cavernas nas rochas.



Um salva-vidas veio falar com a gente, nos disse para ter cuidado e tirar fotos e voltar, porque ali realmente está cheio de arraias e não é ideal para banhar-se agradecemos e logo voltamos.
Percebemos que a praia que estávamos era exclusiva do hotel e o barco levava somente Hóspedes, todos estavam com uma pulserinha e nós não heheh, mas atravessamos de volta numa boa, sem problemas...



Portete é uma ilha, muito bonita, a praia é sensacional e cheia de coqueiros, me lembrou um pouco o nordeste do Brasil J





O céu estava azul e fazia um calor delicioso, caminhamos até a ponta da ilha e tomamos um banho de mar, um pouco receosos, com medo de ser atacados por arraias hehehe!!




Os dias seguintes, continuaram assim, o sol aparecia depois das 11hs e às 15hs desaparecia... mas com ou sem sol, aproveitamos muito esses 10 dias, foi maravilho, Mompiche é muito tranqüila, não tem barulho, pessoal da paz, praia limpa e com água quente, tudo que necessitávamos, quanto tempo não curtíamos um sol quente e uma boa praia...






A fauna local nos impressionou muito também, além das arraias, 



haviam muitos pelicanos e outros pássaros grandes, muitas vezes sentávamos na orla somente para apreciar as aves...



Os caranguejos era uma atração à parte, existe um passeio que te levam à uma ilha cheia de caranguejos, não fizemos mas disseram que é bonito.



Em Mompiche (não me pergunte em que época que esqueci de perguntar L), pode-se fazer passeios de barco para observação de baleias, na época em que fomos não haviam baleias L. As areias das praias também servem de berçários para as tartarugas marinhas... enfim, Mompiche é puro néctar, me estranha ser pouco conhecida pelos turistas...
Ricardo e eu vivemos uma verdadeira lua de mel, estávamos todo o dia grudados em clima de início de namoro, estava triste de ir embora, mas te rimos que seguir... 




No dia de partir, a dona do hostel nos deixou ficar o tempo que quiséssemos no quarto, Miréia é uma pessoa muito bacana e nos atendeu muito bem, super recomendo ficar em seu hostel, o preço é MUITO bom e a acomodação super limpa e confortável!!!
HOSTEL PIKERO
Telefone: 0985683702 e 062448013



Resolvemos viajar à noite de Esmeralda à Quito e chegar bem cedo para ir à Baños, nossa próxima e última parada, mal posso esperar para tomar o avião de volta ao Brasil e rever minha família, meu coração já dodói e meu estomago com fome de feijão e pão de queijo J, então galera se preparem que o casal mochileiro está regressando!!!
HARIBOL!!!



Nenhum comentário: